Poesias

Fui matéria em movimento. Matéria ativa, produtiva. Nunca tentei simplificar a complexidade da vida. Apenas vivi. Refleti luz, e assim quero morrer, sob um céu de estrelas, traduzindo em um último feixe de luz minha breve existência. Humilde insignificância em meio há um inimaginavelmente vasto universo, como tento me ver, mas sempre ciente do meu dever para com a humanidade, minha grande família.

BW

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: