(TUDO/NADA)

Tudo sobre nada (Tudo/Nada)

no mundo fala-se tudo e diz-se pouco
sendo louco, quero dizer tudo com quase nada
a charada, lógica como a matemática
que na prática divide tudo por nada (tudo/nada), ou quase nada
tendendo, como espero, o denominador a zero
a razão tenderá ao infinito
bonito, como escreveu o poetinha:
“lá onde o infinito
de tão infinito
nem mais nome tem”
lá só chega a poesia
que percebe, à distância
a insignificância
do poeta que a escreve
e a si mesmo descreve:
humilde criança, forte como um bamba
feliz, satisfeito
pois no peito leva o samba

:.

Fiz esse blog para registrar a produção cultural que faço junto a meus amigos e colaboradores. 100+.

Esse sou eu em meados da década de 90, pelado, no alto de um telhado. A pintura original foi feita pela minha avó, Alice Goldschmidt. Durante muito tempo tive vergonha dessa imagem, assim como tinha vergonha de escrever. Como disse seu Madruga, quando a fome aperta a vergonha afrouxa. Estendo o raciocínio para a fome de minha alma.

Anúncios